segunda-feira, 22 de outubro de 2007

UTI Brasil – O nosso ‘Tropa’


Sem entrar no mérito das qualidades cinematográficas do longa-metragem ‘Tropa de Elite’, acreditamos no enorme valor que este filme tem ao provocar um debate de grandes proporções em grupos sociais normalmente alienados a questões coletivas. Mas principalmente, acreditamos que sua grande contribuição foi ter motivado muita gente a sair do armário e proferir discursos fascistas. Acreditamos que uma sociedade melhor não é composta por uma massa de supostos humanistas envoltos em discursos politicamente corretos (falsos, porque são antagônicos à prática de muitos destes indivíduos) e sim por sua diversidade explicitada em debates públicos. Uma sociedade melhor é uma sociedade menos hipócrita, em que os 'higienistas', 'justiceiros' enfim, defensores de todos os tipos de valores, possam mostrar a sua cara e soltar o seu verbo publicamente. Só com a diversidade explícita é possível exercer algo aproximado à democracia plena (algo que estamos muito distantes, justamente por nossa tradição de dizer uma coisa na sala, fazer outra na cozinha e chorar outra no quarto.)
Para não ficar de fora desta chamada ‘contribuição social’ a série Memória Ativa também fez a sua parte e, com sua nona edição (“UTI Brasil”) suscitou debates acalorados e depoimentos emocionados em mesas de bares, chats, foruns e comunidades internéticas. Eis um exemplo do que foi postado na página do vídeo no youtube:


“Se não fosse os europeus ou outro povo mais desenvolvido que os índios, isso aqui não existiria. Só haveria índios vivendo no mato em tribos como na idade da pedra lascada...
É a mesma situação da África Negra”.

Comentário de Skullhead88 ao “UTI Brasil”. (postado no youtube)

**Confira por que a nona edição do memoriativa gerou polêmica e comentários sintomáticos, clicando no título deste post. Manifeste-se você também

2 comentários:

Martinho Milani disse...

oi denise

obrigado pelos elogios ao blog. entrei no memoria ativa e gostei bastante. como vcs definem os temas? iria iniciar uma nova fase no blog: aulas curtas de 5 minutos sobre temas atuais... só que não teria a linguagem ágil e dinâmica de seus vídeos. vamos trocar mensagens sobre temas? esta semana devo postar algo sobre o tropa de elite. o filme não é fascista, fascista é boa parte da sociedade. maniqueísta ele é, pois não há outra voz. é possível fazer um filme ou livro com "visão do narrador' e mesmo assim permitir o "outro lado"? claro! que o digam Flaubert, Machado de Assis e Blade Runner ( com a mesma narração em off), mas daí já é pedir demais...ou não?

abraços, aldeia giramundo

FELIPE SANTIAGO disse...

Tropa de Elite é um bom filme. Nada mais nada menos. Tem um bom roteiro bem amarrado, um ritmo de montagem alá filmes de ação e boas atuações. Mas como já diria o velho Sartre - " Não importa o que fizeram com nós, mas sim o que vamos fazer com aquilo que fizeram com nós." Será que vamos levar as telas pessoas que sem ter esse excesso de mídia não iriam prestigiar um filme nacional?
Será que nada mais vale ao excesso de violência e especulção da desgraça alheia? Sem contar um linguajar pitoresco, carregado de palavrões.
Ou tropa se tornaria um objeto de discussão?
Será que é para despertar o pensamento critico sobre o sistema corrupto e do qual fazemos parte?


Tudo isto são questões...

Um abraço a todos